25.1.10

Aguaceiro

O dia em que a rua 28 de Junho, esquina com Guaiapó, virou rio, com as chuvas do sábado passado. O vídeo é de Fernando Maran.

14 pitacos:

Anônimo,  12:47  

isso é rotina neste ponto, ANOS atrás meu tio teve o veiculo arrastado pela correnteza ao passar por este ponto. percebe-se que nada mudou

Anônimo,  13:17  

Como isto pode acontecer numa cidade planejada com sistema de galerias pluviais, obrigatório em todos os loteamentos? O que esta acontecendo com a nossa engenharia de saneamento? Subdimensionaram a rede? Foi mal-executado pelo loteador? Falta manutençao e limpeza das bocas de lobo? Quem é o responsavel quando a falta de zelo pelo patrimônio comum afeta o patrimônio privado? Estas pessoas que foram afetadas pela enchente, que perderam um dia de trabalho ou que tiveram a casa inundada, serao indenizadas por quem exatamente?

Anônimo,  13:22  

Mesmo que tenha sido uma chuva excepcional, a engenharia hidraulica deve ter seus parâmetros de calculo das dimensoes minimas da rede e prever os picos. Nao é possivle que tenham calculado a rede pela média anual. O volume de agua sobre o asfalto da a impressao de que a chuva passou mas a enchente continua correndo por cima das bocas de lobo e até dos passeios.

Anônimo,  13:55  

Exatamente, a "engenharia hidráulica" deveria levar em conta nos projetos a falta de educação da população, que joga lixo, animais etc, nas bocas de lobo, como se fossem lixeiras.

Anônimo,  14:29  

Se fosse só nesse trecho.. mas na avenida Guaiapó no conjunto Requião vira uma piscina...

Anônimo,  15:05  

Ué, aqui no centro, sequer choveu!!!!!!!!

Anônimo,  15:45  

A limpeza das ruas também é competência do poder público. Pagamos nossos impostos para que estes serviços sejam executados. Nenhum morador tem o dever de varrer a rua ou o passeio em frente à sua casa. Isto é papel da prefeitura, assim como a multa para quem impede a passagem dos pedestres pelo passeio jogando lixo, entulho ou materiais de construçao neste local. Porém, o que tem acontecido é exatamente o contrario. A prefeitura deixa barrarem o passeio com caminhoes de pedra e areia, e o pedestre que se f*. Depois que a chuva leva este material para os bueiros, dizem que é a populaçao quem nao tem educaçao e quem é responabilizada pelas inundaçoes. No meu ponto de vista é a má administraçao da Má-ringá que fecha os olhos e deixa a cidade chegar a este estado.

Anônimo,  16:07  

É a esquina que fica atras do parque de exposiçoes. Ali nem é fundo de vale mas está numa depressao que concentra toda a agua dos loteamentos que estao do outro lado da Av Guaipo que vem pela Av dos Palmares, conecta com a 28 de Junho e despeja no corrego Taubicy.
Este corrego teve sua nascente tubulada entre a rua La Paz até a 28 de Junho, por pressao dos loteadores em cumplicidade com o poder público e os moradores que construiram em cima desta area de fundo de vale devem estar numa area de risco de inundaçao. Talvez seja o caso de seguir a enxurrada e ver onde ela esta desaguando, para mostrar as consequências do abandono da cidade ao interesse dos especuladores.

Anônimo,  16:11  

Sem uma area na Zona 5 que tem o mesmo problema. A agua de todo o bairro desmboca no cruzamento da Pedro Américo com a Saint-Hilaire. Quando o bueiro transborda, a agua atravessa a garagem do professor e vai sair no teatro Kalil Hadad. Parece que o mau planejamento das galerias ja vinha desde o Cassio Vidigal.

Anônimo,  16:30  

É um problema de bairros pobres. Nunca será prioridade a nao ser durante as épocas de campanha de eleiçao, aí os santinhos aparecem com todas as promessas possíveis e até comprando votos.
Mas sao estes mesmos politicos que provocam as catastrofes, e depois, quando ela acontece, eles posam de salvadores dos pobres dizendo que vao desentupir os bueiros, fazer piscinao (que depois da dengue), etc. Enquanto os pobres continuarem acreditando em salavadores, sempre serao manipulados.
No meu ponto de vista, acho que eles deveriam se organizar, levantar os problemas técnicos das galerias, identificar os responsáveis dos projetos, os loteadores e os funcionários que aprovaram as galerias e encaminhar ao MP, pedindo reparaçao por danos monetarios (a desvalorizaçao dos imoveis, perda de tempo e atraso ao trabalho), materiais (danos ao patrimônio pessoal, moveis, sujeira trazida pela enxurrada) e morais (stress causado pelo risco). Onde estao as associaçoes dos moradores?

Anônimo,  16:40  

Na Vila Esperança é a mesma lerda. La também enche e ja faz tempo. Depois que fizeram o tal do aterro sobre a nascente no fundo do vale, aquilo virou uma barragem que segura a agua do bairro todo e da UEM. O proprio aterro virou uma armadilha pois crateras enormes se abrem no meio daquele entulho com o risco de engulirem algum desavisado. So quando acontecer uma morte ou alguém desaparecer no meio daquele lixo é que vao pensar na bacia como um todo.

Anônimo,  16:44  

Na Vila Esperança a rua de enxurrada e inundaçao é a Isoldino Dias Costa, desde o muro da UEM até o aterro de entulhos. Da pra ver uma cas crateras do aterro pelo Google Earth.

Anônimo,  22:07  

Choveu só do lado do Jardim Liberdade, inclusive pedra. No resto da cidade tinha sol, como aqui próximo da Acema.

Gustavo T. 13:56  

Rigon, o problema não é novo. Tenho um registro de fevereiro passado, quando vi isso pela primeira vez.

É a mesma rua, num ponto mais abaixo, no cruzamento com a Avenida Tuiuti. Lembro que aquele foi um dia parecido com ontem, mas parece que o problema piorou bastante (eu não moro mais lá). Se quiser colocar aqui no blog, a título de comparação:

http://maringamaringa.wordpress.com/2009/02/25/veneza/
http://maringamaringa.wordpress.com/2009/02/26/veneza-2/

Eu não apurei, mas tenho quase certeza de a enxurrada segue ainda mais abaixo até um córrego, com mais velocidade do que nos pontos registrados nos dois vídeos, porque a declividade aumenta.

E tenho também quase certeza que há algo muito errado mais acima, no Jardim Liberdade, porque até pouco tempo atrás isso não acontecia.

Arrisco que não seja um problema dali, mas seja reflexo de uma alteração em outro lugar. É algo que deve ser investigado, porque parece que só vai piorar. A Rua 28 de Junho forma um canal para a água que não é contida pelas bocas de lobo. O problema é que ali passam três linhas de ônibus, 008, 234 e 254-A, além de ser saída de supermercado e saída da Escola Gabriel Sampaio.

Postar um comentário

Vê lá o que vai escrever! Evite agressão e preconceito. Eu não vou mais colocar xizinho; na dúvida, não libero o comentário.

  © Blogger templates 2008

Para cima